“Punição” a DJ Ivis pela sociedade tem enorme simbologia

O caso de DJ Ivis, infelizmente, não é algo novo na história. Não em um Brasil onde 500 mil mulheres são agredidas por hora. Mas o que vimos há uma semana foram sinais visíveis de evolução social, principalmente no universo das celebridades em que homens brancos, cis e ricos detém o poder. Nada disso foi suficiente e livrou o compositor da execração social. Vimos grandes empresas e artistas se posicionando e tomando atitudes concretas.

Há uma semana, ele dominava as paradas musicais com cinco sucessos entre os mais tocados. Porém, as plataformas Deezer e Spotify, fenômenos quando o assunto é streaming, retiraram as músicas de DJ Ivis de todas as principais playlists. E o que isso quer dizer? Após a retirada, as músicas perdem 30% de seu alcance.

Além disso, a Sony Music Brasil encerrou seu contrato com o produtor musical que, além de intérprete, produzia os principais sucessos de nomes como Zé Vaqueiro e Xand Avião. Os danos não só para carreira dele mas para música serão enormes, o novo forró no Brasil tinha a cara de DJ Ivis. Mas essa era acabou.

Que o caso de DJ Ivis sirva de lição não só para entendermos de uma vez por todas que não há distinção entre pessoa física e jurídica. E para darmos voz e credibilidade as mulheres já que se não fossem aquelas imagens, Pamella seria taxada como “biscoiteira” e a voz do agressor ecoaria em nossos smartphones.

A música, o BBB, as redes sociais são um recorte social – maquiado com filtros mil, é claro – daí fica o questionamento: o que você consome, te representa?

Download WordPress Themes
Download WordPress Themes
Download WordPress Themes
Download WordPress Themes
free download udemy paid course
download huawei firmware
Free Download WordPress Themes
udemy paid course free download

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!