EUA criticam “solidariedade” de Bolsonaro com a Rússia em plena crise ucraniana

Os Estados Unidos criticaram na quinta-feira a “solidariedade” com a Rússia manifestada por Jair Bolsonaro, durante a sua visita a Moscovo, numa altura em que o Ocidente teme que a presença de tropas russas junto à fronteira com a Ucrânia precipite uma invasão do território.

“O timing da manifestação de solidariedade com a Rússia, do Presidente do Brasil, quando as forças russas se estão a preparar para realizar ataques a cidades ucranianas, não podia ser pior”, reagiu o Departamento de Estado, através de um porta-voz.

“Prejudica a diplomacia internacional focada em impedir um desastre estratégico e humanitário, assim como os próprios apelos do Brasil para uma resolução pacífica da crise”, denunciou, citado pela Reuters.

Esta tomada de posição norte-americana consubstancia uma crítica pública pouco comum dos EUA a um dos países da América Latina com os quais têm boas relações.

Bolsonaro foi um importante aliado ideológico do ex-Presidente Donald Trump, mas as relações entre os dois Governos esfriaram com a Administração Biden, por causa de divergências sobre questão ambientais, entre outras.

Na quarta-feira, ao lado do seu homólogo russo, Vladimir Putin, o Presidente brasileiro manifestou, num primeiro momento “solidariedade com a Rússia”, mas sem elaborar muito.

Mais tarde, numa conferência de imprensa conjunta com Putin, acrescentou: “O mundo é a nossa casa e Deus está acima de todos nós. Pregamos a paz e respeitamos todos aqueles que agem dessa maneira. Afinal de contas, esse é o interesse de todos nós: paz para o mundo”.

O Departamento de Estado norte-americano também esclareceu que foi criada uma “falsa narrativa” que dá conta de que os EUA exigiram ao Brasil que tinha de escolher entre si e a Rússia, antes de decidir o que fazer em relação à cimeira agendada para Moscovo.

“Não é esse o caso. A questão é que o Brasil, como um país importante, parece ignorar a agressão armada por uma grande potência contra um vizinho mais pequeno; uma posição inconsistente com sua ênfase histórica na paz e na diplomacia”, lamentou o porta-voz da diplomacia dos EUA.

Jair Bolsonaro confirmou que falou com o chefe de Estado russo sobre a crise na Ucrânia. “Disse ao Presidente Putin que o Brasil apoia qualquer país que procure a paz”, afirmou.

Pouco depois de se ter encontrado com o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, em Budapeste, na quinta-feira, Bolsonaro voltou ao tema, dizendo que uma guerra entre a Rússia e a Ucrânia “não interessa a ninguém”. Com Reuters

Fonte: Público

Download Premium WordPress Themes Free
Download WordPress Themes
Download Premium WordPress Themes Free
Download Nulled WordPress Themes
udemy paid course free download
download mobile firmware
Premium WordPress Themes Download
free download udemy paid course

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!